COMUNICADO

27 de janeiro de 2016

Com relação à interdição dos terminais de minério e carvão (Píer II e Píer Praia Mole, respectivamente) do Porto de Tubarão, realizada no último dia 21, pela Polícia Federal:

- A ArcelorMittal informa que ambos os Terminais são de propriedade e operação exclusiva da Vale.

- A empresa é cliente dos serviços de descarregamento realizados pela Vale, no Píer Praia Mole.

- A ArcelorMittal não é proprietária de qualquer parcela do Porto de Tubarão ou gestora de suas atividades, nem hoje, nem em nenhum período de sua história. Portanto, não tem intervenção direta na solução dos problemas identificados pela Polícia Federal nas atividades de embarque e desembarque desse Porto.

- Desde a interdição, a empresa continuou operando normalmente. Em antecipação à possibilidade de prolongamento dessa situação, permaneceu avaliando todas as oportunidades de abastecimento disponíveis no mercado, em um esforço para manter as suas atividades, atendendo aos compromissos assumidos com seus clientes e empregados.

- Paralelamente, a empresa prestou os esclarecimentos necessários à Justiça sob sua impossibilidade de atuação corretiva em relação à área interditada, uma vez que não é operadora ou proprietária dos referidos terminais portuários indicados na ação da Polícia Federal.

- No que cabe ao seu desempenho ambiental, a ArcelorMittal Tubarão investe continuamente em tecnologias ambientais, buscando soluções inovadoras dentre as melhores disponíveis e já consolidadas internacionalmente, para aprimorar seu desempenho ambiental e a qualidade do ar na região. Em 2014, seguindo essa estratégia e ouvidas as expectativas das partes interessadas, a empresa lançou um novo plano de investimentos ambientais que direciona US$ 100 milhões para a aquisição de novos equipamentos, realização de reformas, atualização tecnológica e aprimoramentos na gestão ambiental. Com esses investimentos, a empresa ultrapassou a marca de US$ 800 milhões investidos em sistemas e equipamentos de controle ambiental desde o início de suas operações. Cerca de 80% deste montante foi aplicado em controles para a gestão atmosférica.

- No último dia 26, a Justiça Federal determinou a exclusão da Empresa do procedimento que determinou a interdição dos terminais de minério e carvão (Píer II e Píer Praia Mole, respectivamente) do Porto de Tubarão, tendo em vista que a ArcelorMittal não é operadora portuária de tais terminais.