Sustentabilidade - ArcelorMittal Tubarão

Indicadores

Gestão da Água

A gestão de recursos hídricos é uma das questões centrais na estratégia de sustentabilidade e estabilidade operacional da ArcelorMittal Tubarão, assim como a preservação e o uso racional dos diferentes recursos naturais. Tratada como prioridade desde o início da empresa, a gestão hídrica é foco de investimentos contínuos que, ao longo do tempo, a tornaram mais eficiente.

A localização litorânea permitiu a implantação de um projeto arrojado que, hoje, garante que 96% de toda a água utilizada pela usina venha do mar. A água é captada, circula pelos diferentes setores realizando a refrigeração dos equipamentos, sem entrar em contato com nenhum material e retorna ao mar, passando antes por um canal de longo percurso onde sua temperatura é reduzida.

O restante, cerca de 3,5%, é proveniente de fontes de água doce fornecida pela Cesan em estado bruto e tratada dentro da empresa, para uso humano e em equipamentos de controle ambiental. Adicionalmente, o uso de águas subterrâneas profundas somam-se 0,3% da necessidade para o uso industrial.

Esse volume de água doce é foco de uma gestão que tem como objetivo reduzir o consumo e aumentar, ano a ano, a taxa de recirculação. Quanto mais conseguimos reutilizar a água, menor é o impacto no sistema público e menores são as necessidades de descarte de efluentes.

Em 2006, com a entrada em operação da Estação de Tratamento de Água de Reuso (ETA Reuso), a ArcelorMittal Tubarão aumentou a eficiência de seu sistema de gestão de recursos hídricos. A nova estação permitiu à empresa aumentar sua capacidade de produção para 7,5 milhões de toneladas de aço por ano, reduzindo pela metade o volume de água nova necessária para operar os novos equipamentos, de 900 m3/hora para 450 m3/hora. Essa estação complementou o sistema de tratamento de água interno, proporcionando a reutilização de efluentes de esgoto, água de chuva e de alguns setores industriais.

Em 2014, já atenta às condições críticas dos recursos hídricos no Espírito Santo, a ArcelorMittal Tubarão criou o Plano Diretor de Águas (PDA). Suportado pela política ambiental da empresa, o Plano tem como objetivo antecipar ações para garantir a estabilidade da produção, diante de cenários futuros de indisponibilidade de água.

Em 2015, a empresa finalizou o projeto de modernização da ETA Reuso, realizando o maior investimento privado de reuso no Espírito Santo, num total de R$ 23 milhões. A estação passou a ter capacidade de produção de 400 m³/h de água, a partir de efluentes industriais e domésticos tratados internamente.

Plano Diretor de Águas (PDA)

O PDA estabelece novas diretrizes de gestão do uso e conservação dos recursos hídricos (água doce, superficiais, subterrâneas, marinha) e de tratamento e reuso de efluentes. Sua implantação também estimula a identificação de oportunidades de melhoria contínua dos processos, visando o controle e a redução de riscos, em conformidade com os requisitos legais aplicáveis.

Saiba mais...

Consumo total de água (m3)

Norteado pelo Plano Diretor de Águas (PDA), os esforços da empresa frente à crise hídrica, já apresentam resultados expressivos de redução do volume de água doce utilizada pela empresa. O estabelecimento de diretrizes e objetivos, gerais e específicos, incluindo os estudos de fontes alternativas de água, resultou num salto qualitativo importante que propiciou as transformações que a empresa necessitava para a incorporação dos cenários futuros na sustentabilidade dos recursos hídricos internos. Diferentes implementos nos processos de tratamento e recirculação de água vêm propiciando melhorias constantes nos indicadores hídricos da empresa.

Recirculação de Água Doce x Consumo Específico

Recirculação de Água Doce x Consumo Específico

Notas:

Consumo específico: volume total de água bruta comprada da CESAN (rio Santa Maria) dividido pela quantidade de aço bruto produzido.

Índice de Recirculação (%) – percentual de recirculação da água clarificada.

Gestão de Energia

A ArcelorMittal Tubarão adotou, desde a sua construção, um modelo energético que permite utilizar os gases do processo siderúrgico para gerar energia. Nos últimos anos, a empresa tem registrado uma produção de energia superior ao seu consumo, ou seja, pode comercializar o restante, contribuindo para o sistema público.

Geração / Consumo (%)

Geração / Consumo (%)

Nota:

*A ArcelorMittal Tubarão é autossuficiente em energia elétrica. Em 2013 houve necessidade de compra de energia, devido ao déficit de combustíveis relacionados à redução de produção.

A geração da energia é realizada em seis termelétricas e outros sistemas de reaproveitamento de gases, como turbinas de topo, e a capacidade total de geração é da ordem de 500 MW, o equivalente a quantidade de energia elétrica necessária para o consumo de 1,7 milhão de residências. Esse modelo energético sustentável permite que a empresa não dependa nem do sistema público nem de óleo combustível. Ao mesmo tempo, proporciona redução de custos e menor impacto ambiental.

Gestão de Resíduos e Coprodutos

O sistema de gestão de resíduos da ArcelorMittal Tubarão combina a eficiência na segregação dos materiais internamente com uma política de fortes investimentos no desenvolvimento de aplicações para a reutilização. Além disso, desde 2002, a empresa inovou com a implantação de uma área comercial específica para a valorização dos materiais.

Essa gestão tem permitido à ArcelorMittal Tubarão manter-se como referência não só nos índices de reciclagem como pioneira na comercialização de coprodutos de qualidade comprovada, como a Acerita® e o Revsol®, que já se tornaram matérias-primas com valor comercial e social.

Os pilares desse sistema de gestão são a reutilização máxima, a reciclagem contínua e o baixo índice de descartes destas matérias-primas. Como resultado de pesquisas e parcerias acadêmicas, os resíduos industriais da ArcelorMittal Tubarão vêm se tornando coprodutos, aperfeiçoados a cada ano para viabilizar sua aplicação em diferentes setores. Hoje a empresa conta com uma carteira de cerca de 30 coprodutos, frutos do beneficiamento dos resíduos de fabricação do aço na usina.

Uma eficiente gestão de resíduos é uma das premissas da Política Ambiental da ArcelorMittal Tubarão. Nossa diretriz principal é manter o baixo índice de geração de resíduos por tonelada de aço produzida. Nossa geração média tem ficado em torno de 600 Kg de resíduos para cada tonelada de aço produzido, o que nos coloca como uma das referências no setor, no qual a geração média pode chegar a 700 Kg/tonelada de aço. Ao mesmo tempo, a empresa investe em ações de reaproveitamento/reciclagem de resíduos. Em 2015, 94,3% dos resíduos gerados em Tubarão foram destinados à reutilização/reciclagem. Cerca de 67% desse volume foi comercializado, gerando uma receita de R$ 115,3 milhões.

Reciclagem, Reutilização e Comercialização de Coprodutos (%)

Reciclagem, Reutilização e Comercialização de Coprodutos (%)

* A partir de 2014, a formula do cálculo passou por alterações

Balanço de Resíduos e Coprodutos – Acumulado até Novembro de 2016

Balanço de Resíduos e Coprodutos – Acumulado até Novembro de 2016

Gestão Atmosférica

A ArcelorMittal Tubarão registra índices de desempenho da Gestão Atmosférica que a colocam como referência a indústria mundial de aço.

Essa gestão conta com diferentes mecanismos de controle e de monitoramento. O Cinturão Verde, com mais de 2,6 milhões de árvores, forma uma barreira natural que evita a dispersão de partículas das áreas internas. É um dos mais eficientes controles para material particulado.

Em relação ao monitoramento, além do sistema que acompanha as emissões em todas as fontes internas fixas, como as chaminés, a ArcelorMittal Tubarão investiu em uma moderna rede de avaliação contínua da qualidade do ar na Grande Vitória, a Rede Automática de Monitoramento da Qualidade do Ar da Grande Vitória (RAMQAr).

Historicamente, temos conseguido manter emissões em níveis inferiores aos permitidos pela legislação brasileira e europeia. Nossa meta é melhorar continuamente, reduzindo as emissões ano a ano.

Taxa de Emissão Específica de Material Particulado (Kg/t aço) x Produção Anual de Aço Bruto

Taxa de Emissão Específica de Material Particulado (Kg/t aço) x Produção Anual de Aço Bruto



Taxa de Emissão Específica de Dióxido de Enxôfre (SO2) e Óxidos de Nitrogênio (NOx) x Produção Anual de Aço Bruto

Taxa de Emissão Específica de Dióxido de Enxôfre (SO2) e Óxidos de Nitrogênio (NOx) x Produção Anual de Aço Bruto

Responsabilidade Social

  • 12 projetos apoiados em 2016;
  • Investimento cerca de 1.500.000,00 anualmente;
  • Índice de conformidade fiscal e transparência na prestação de conta superior a 90%;
  • 85.071 beneficiários diretos entre crianças, jovens e adultos;
  • 373.775 beneficiários indiretos;
  • 44 empregos gerados;
  • 181 voluntários mobilizados por esses 12 projetos, sendo que, deles 6 são empregados da empresa.